Manutenção ferroviária

Manutenção ferroviária: por que ela é fundamental para o setor?

Mesmo representando apenas 5,4% do escoamento de toda produção nacional, segundo a Fundação Dom Cabral, o modal ferroviário vem contribuindo significativamente para a logística de cargas do país. É por isso que a pauta sobre a manutenção ferroviária não pode perder espaço.

É verdade que a expansão ferroviária no Brasil foi abandonada nos 60 no governo de Juscelino Kubitschek. Mas, desde que a iniciativa privada pôde participar desse modal, ainda nos anos 90, o setor voltou a crescer e recuperar relevância.

Porém, diferentemente do que acontece no modal rodoviário, onde caminhões conseguem até rodar em estradas precárias, os trens só conseguem funcionar quando a manutenção ferroviária está em dia. É uma questão que vai além da produtividade.

Quer entender mais sobre o assunto? Então, continue lendo e confira a nossa postagem completa sobre a manutenção ferroviária.

Boa leitura!

Por que a manutenção ferroviária é tão importante?

Um dos principais problemas que acometem o setor ferroviário é o desgaste das linhas e dos trens. Por serem contínuos, os trilhos são extremamente utilizados durante a passagem dos trens e acabam sofrendo com o desgaste do uso e do tempo.

O problema é tão sério e tão específico do setor, que surge de diferentes maneiras. Por exemplo, o desgaste pode ser:

  • Ondulatório;
  • De boleto;
  • Vertical;
  • Lateral.

Embora todos sejam graves, cada um resulta em um prejuízo mais acentuado para a ferrovia. Por exemplo, o desgaste de boleto afeta a parte de cima dos trilhos, justamente a composição que entra em contato com as rodas dos trens. Além de trazer instabilidade, ele causa prejuízos diretos aos veículos.

É aí que a manutenção ferroviária se torna extremamente importante. Ela tem o objetivo de evitar que qualquer desgaste apareça ou traga grandes riscos para os trens e atrapalhe o transporte realizado nas ferrovias.

Quanto menos você investe na manutenção ferroviária, maiores são as probabilidades de surgirem todos os tipos de desgaste. Com o tempo, a sua empresa precisará lidar com o conserto das ferrovias, dos trens e com a queda ou paralisação das atividades.

Regulação das balanças ferroviárias: por que ela é essencial? 

A segurança e a qualidade do transporte ferroviária passam muito pela regulação das balanças de precisão. Isso porque, toda linha ferroviária é classificada pelo peso que suporta para a passagem dos veículos.

Cada tipo de trilho é capaz de suportar determinado peso e isso deve ser respeitado por todos que operam a linha.

Ao saber o peso e a classificação de cada trilho, o próximo passo é identificar o peso dos vagões e das cargas transportadas. É aí que entram as balanças ferroviárias. São elas que fazem esse trabalho e garantem a segurança de toda a operação.

Existem dois tipos: estáticas e dinâmicas. Nas estáticas, os trens precisam estar parados durante a medição. Já nas dinâmicas, os veículos podem passar em movimento que a medição é feita por um computador central.

Por causa dessa relevância, as balanças precisam estar sempre bem reguladas. Os dados repassados pelos equipamentos serão as principais fontes para definir o volume de produção que cada linha transportará. Se uma balança estiver desregulada, ela pode comprometer tanto a segurança quanto a performance da operação de transporte.

Remanufatura no transporte ferroviário?

Como mostrado ao longo do texto, a manutenção ferroviária é um ponto que jamais pode ser negligenciado. Ela garante não só que o transporte sobre os trilhos seja feito com eficiência, mas também com segurança.

Além disso, é através da manutenção ferroviária que você consegue identificar problemas e desgastes de forma prévia, tanto nos trilhos quanto nos trens e locomotivas. Com previsibilidade, você tem a possibilidade de buscar a melhor alternativa para a reposição de peças, como, por exemplo, a remanufatura para transporte ferroviário.

Em vez de simplesmente descartar as peças antigas, você pode optar pela remanufatura. Um processo onde os componentes já utilizados são analisados, avaliados e recondicionados à usabilidade original.

Ou seja, você deixa de investir um alto valor em uma peça nova e garante a mesma qualidade com o mesmo componente. Uma alternativa que apresenta ótimo custo-benefício.

Outro ponto importante é que componentes de locomotivas, vagões e trilhos não são tão simples de encontrar. Dependendo da peça, você pode ter que paralisar a atividade por um tempo até que chegue uma reposição. Já a remanufatura é uma opção de rápida resolução.

Mas é sempre importante frisar que para a remanufatura trazer os resultados esperados, é preciso contar com um fornecedor experiente e com um bom histórico no mercado. A Turbo Brasil é o nome mais indicado, a empresa referência na América Latina em remanufatura.

Além de ser especialista no processo com peças para locomotivas, a Turbo Brasil segue critérios rígidos de qualidade, considerando sempre o padrão dos fabricantes originais. 

Conclusão

O modal ferroviário está em plena expansão no país, e a tendência é que se mantenha assim pelos próximos anos. Ainda mais agora, quando empresas e governos falam tanto em contenção de gastos, o transporte ferroviário parece ser uma alternativa natural, pois é muito mais econômico. Mas, é essencial manter-se uma rotina de manutenção ferroviária, garantindo continuidade e segurança para as operações. E não se esqueça, na hora da reposição de peças: opte pela remanufatura.

Com corpo técnico de profissionais com alta performance e qualificada, a Turbo Brasil investe constantemente na capacitação de sua equipe, que desenvolve a cada dia novas tecnologias em remanufatura. Seguramente, se o seu objetivo é oferecer performance acima da média, a unidade injetora GE e a unidade injetora SD70 (aplicação GM) são as opções ideais.

Solicite um orçamento e saiba como a Turbo Brasil pode ajudar o seu negócio hoje.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email