setor ferroviário

Afinal, qual a importância do setor ferroviário no Brasil?

Quando a primeira linha ferroviária foi inaugurada no Brasil, em 1852, ela só contava com 14,5 km de extensão – entre as cidades de Petrópolis e Rio de Janeiro. Porém, hoje, mais de um século depois, o país conta com uma rede de 30.129 km de extensão. Sem dúvida, o setor ferroviário se expandiu.

No entanto, ainda que já apresente um tamanho significativo, é fato que as ferrovias estão longe do alcance das rodovias. Assim, a boa notícia é que isso demonstra que ainda há muito espaço para expansão.

Todavia, mesmo aquém do seu potencial, o setor ferroviário consegue impactar positivamente a logística e o transporte do país. Pois, a cada ano os números só crescem em produtividade, faturamento, geração de empregos, entre outros.

Para você entender melhor a importância do setor rodoviário para o transporte de cargas e para o nosso país de uma forma geral, preparamos este artigo abordando os principais pontos sobre o assunto. Confira!

Boa leitura!

A importância do setor ferroviário para o transporte de cargas

Embora apresente bastante potencial, o setor ferroviário ainda é pouco explorado para o transporte de passageiros aqui no Brasil. Por outro lado, ele tem um papel fundamental na movimentação de cargas.

Assim, o modal, atualmente, é um dos principais quando se fala em abastecimento dos portos nacionais – espaços de grande concentração de produtos para a exportação. Os itens transportados pelas ferrovias, geralmente, são os de grande volume, tais como:

  • insumos agrícolas;
  • minérios;
  • milho;
  • grãos;
  • soja.

Desde os anos 90, quando a iniciativa privada passou a gerir a maior parte do setor ferroviário do país, o número de operações de transportes por esse modal passou a crescer gradativamente.

Em 2019, por exemplo, o número de cargas transportadas pelo setor foi 95% maior em comparação com 1997, segundo informações da própria ANTF (Agência Nacional do Transporte Ferroviário).

O valor em peso bruto foi de quase 500 toneladas movimentadas no ano de 2019. Um número impressionante para o modal que não é o principal do país, que concentra cerca de 20% de todas as cargas movimentadas.

Qual o impacto financeiro do setor ferroviário para o Brasil?

Os números abundantes resultantes do transporte de cargas pelas ferrovias geram grandes valores também para os cofres de empresas e do governo. Isso faz do setor ferroviário um dos mais importantes financeiramente dentro do nosso país.

Além disso, os valores são altos tanto em termos de investimento quanto de faturamento. Por exemplo, mais uma vez em 2019, foram investidos quase 3,5 bilhões de reais na melhoria e expansão de ferrovias pelo país.

Ou seja, esse tratamento especial é importante, pois o governo consegue arrecadar grandes quantias com a concessão de trechos das ferrovias. Há dois anos, os cofres públicos obtiveram mais de 2 bilhões de reais da empresa PRUMO pela concessão de dois trechos da Ferrovia Norte-Sul.

Ainda que pareça uma grande cifra por apenas dois trechos, é importante lembrar que o modal ferroviário apresenta alta capacidade de transporte. Enquanto um caminhão consegue levar algumas toneladas de produtos, um trem com 100 vagões transporta milhares de toneladas.

O setor gera empregos?

Atualmente, segundo a Agência Nacional do Transporte Ferroviário (ANTF), o setor ferroviário emprega cerca de 41.632 trabalhadores. Isso representa um aumento de 200% em comparação com o final da década de 90.

Mais do que isso, esses números colocam o setor ferroviário como um dos que mais empregam brasileiros. Considerando que o futuro é bastante promissor para o modal dentro do nosso país, podemos esperar o triplo para a próxima década.

Remanufatura no setor ferroviário?

Um ponto que difere bastante os modais ferroviário e rodoviário é a conservação dos locais de transporte. Enquanto no modal rodoviário os caminhões conseguem rodar em estradas com pouco ou nenhuma pavimentação, os trens só podem passar em trilhos que estejam com a manutenção em dia.

Além disso, por causa do grande volume transportado, os trens e vagões precisam estar em perfeito estado para movimentar as mercadorias com segurança e eficiência. Para isso, mais uma vez, é preciso manutenção contínua.

É justamente nesse trabalho de manutenção que a remanufatura se encaixa no setor ferroviário. Com análises prévias sobre as condições dos trilhos, trens e vagões, as empresas que administram as ferrovias conseguem buscar alternativas como a remanufatura na hora da reposição de peças, como injetores EMD, bomba injetora GE Dash 9, conjunto de força power pack, bico injetor GE Evolution, SD70, dentre outros componentes comuns em locomotivas atuantes no Brasil.

A grande vantagem está na economia e agilidade do processo. Enquanto na reposição de outra peça nova você corre o risco de paralisação da operação logística, a remanufatura é feita de forma muito mais rápida.

Os componentes ferroviários passam por testes e avaliações para recuperarem a usabilidade original, possibilitando que você tenha de volta as peças com a mesma qualidade das novas, mas pagando um valor mais conta. Eficiência aliada à economia.

Conclusão

Enfim, está claro que mesmo não sendo o modal mais explorado do país, o setor ferroviário é de suma importância para o Brasil, gerando bilhões em faturamento e milhares de empregos. Mas, como explicado, para se manter em alto desempenho, ele demanda manutenção contínua e reposição rápida de peças – um benefício que pode ser conquistado através da remanufatura.

Sabia que a Turbo Brasil pode ajudar e muito na remanufatura contínua e recorrente das suas peças? Precisamente, se seu objetivo é disponibilizar performance acima da média para as suas máquinas e locomotivas, a bomba injetora Bosch e o bico injetor Bosch (aplicação Bosch) são excelentes opções.

Entre em contato com a Turbo Brasil e saiba quais peças ferroviárias podem passar pelo processo de remanufatura.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email