Sistema Common Rail

Não deixe seu veículo parado por falhas no Sistema Common Rail! Conheça 3 falhas e saiba como driblá-las!

Considerado muito mais eficiente do que outros sistemas semelhantes, o sistema Common Rail é o tipo de componente altamente valorizado no mercado, sendo procurado por especialistas e gestores de nichos de alta produtividade como Mineração, Offshore, Mineração, Ferrovia, Agrícola, Rodoviários, entre outros.

No entanto, mesmo com esse reconhecimento de eficiência, o sistema não é imune às falhas, principalmente, quando o usuário não cumpre questões básicas como a manutenção regular. Nesse sentido, sem um cuidado especial, em algum momento a peça passa a apresentar dificuldades que podem comprometer todo o equipamento.

Para saber mais sobre esses e outros pontos ligados ao sistema Commom Rail, continue lendo e confira a nossa postagem completa sobre o assunto. Boa leitura!

Quais são os principais sintomas de falhas no sistema Common Rail?

É fato que ninguém quer um sistema de alta potência como Commom Rail apresentando falhas e trazendo dificuldades em seu veículo de motor diesel. Porém, como explicado, quando não há o cuidado correto, é normal que esse tipo de situação aconteça.

Para evitar surpresas e gastos emergenciais, o melhor caminho é ter atenção aos sintomas das falhas. Confira alguns dos mais comuns:

  • Motor do equipamento desligando ou perdendo potência na desaceleração;
  • Problema na hora de dar a partida;
  • Inconsistências na aceleração;
  • Perda de potência;
  • Cortes na rotação.
  • Inconsistência na pressão de injeção
  • Contaminação do diesel
  • Desgaste pelo tempo de uso

Claro que os sintomas podem variar caso a caso. No entanto, ao identificar alguns desses de forma constante, é importante avaliar as condições do seu sistema Commom Rail.

Quando esse tipo de situação acontecer, é recomendável não prolongar o uso do equipamento. Ainda mais dentro de uma rotina de Offshore ou Mineração, por exemplo, onde a quebra de um único equipamento pode representar um prejuízo enorme.

3 falhas Comuns do sistema Common Rail

Caso você não tome nenhuma atitude diante dos sintomas apresentados, certamente eles evoluirão para falhas.

1. Inconsistência na pressão de injeção

A falha mais comum em um sistema de injeção Common Rail é a inconsistência na pressão de injeção, sendo este também o problema mais grave da peça.

Nessa situação, o sistema não consegue repassar corretamente o diesel para o motor. Consequentemente, é comprometido o funcionamento do equipamento como um todo.

2. Contaminação do diesel

Outra falha que pode ocorrer em uma situação de mau funcionamento do sistema Commom Rail é a contaminação do óleo diesel. Em razão de vazamentos ou instalação incorreta, o combustível que passa pela injeção eletrônica é diretamente afetado.

Logicamente, assim como no primeiro caso, é uma falha que também impacta o motor do seu equipamento.

3. Desgaste pelo tempo de uso

Outra falha também comum é o desgaste da peça pelo tempo de uso, ainda mais em setores de alta exigência como Agrícola, Offshore, Mineração, Ferrovia e Rodoviário.

Nesse caso, além de ficar atento aos sintomas, você precisa ter um plano de ação bem estabelecido para o momento de substituição da peça. Se você não tem o planejamento em mãos, é certo que vai perder dinheiro.

Dicas importantes para driblar as falhas no sistema Common Rail

Assim como há o risco de falhas, também existem maneiras de driblá-lo e estender a vida útil do seu sistema Commom Rail. Confira.

Fique atento às peças principais

O primeiro ponto é ficar atento às peças sensíveis do seu sistema Common Rail, componentes que interferem diretamente no bom funcionamento.

A principal, sem dúvida, é a válvula reguladora, a peça que controla as altas pressões no tubo rail. Outro ponto é o tubo em si, que merece atenção em relação a sua condição. 

Por fim, verifique sempre o funcionamento da unidade de controle eletrônica.

Use somente componentes de qualidade

Peças de injeção eletrônica são bastante valorizadas no mercado, demandando quantias interessantes da parte financeira das empresas. Diante disso, pode ser tentador investir em componentes de baixa qualidade em uma substituição.

Não caia nessa armadilha!

Peças de procedência duvidosa não só comprometem o funcionamento dos equipamentos,  como também a produtividade da sua empresa. Dificilmente elas trarão o retorno que você precisa.

A reparação de injetores Common Rail

Vale destacar a resolução da dificuldade que pode surgir no momento da substituição de seu sistema Commom Rail. Por causa do preço ou da demora na reposição, é comum que gestores passem aperto nessa transição.

Nesse momento, o melhor caminho a se tomar é a reparação do sistema Commom Rail. A opção ideal para quem não pode abrir mão de peças de qualidade e nem perder tempo de produtividade.

Na reparação, você tem a sua peça nos padrões de fábrica e com custo-benefício bastante atrativo – uma economia que pode superar os 60% em comparação a uma compra de peça nova.

É a garantia de um sistema Commom Rail completo, uma rotina de alta qualidade, a partir de um processo econômico e sustentável.

Reparação de peças com alto padrão de qualidade

Se a sua operação for Agrícola, Offshore, Mineração, Ferrovia e Rodoviário você não precisa parar por causa de eventuais falhas no sistema Commom Rail. Com o processo de reparação de peças, você tem o seu sistema em mãos em pouco tempo e funcionando com um alto padrão de qualidade. Trazendo novamente sua alta produtividade, economizando dinheiro e tempo. 

A parceria que uma empresa de alta performance que trabalha com veículos de motor diesel precisa está aqui! 

A Turbo Brasil conta com os melhores profissionais do mercado, que são altamente preparados e com equipamentos de última geração para reparar seus componentes de motor diesel. Com sede própria de 5 mil metros quadrados, estamos localizados em Contagem/MG, porém nossos atendimentos não tem fronteiras. Por isso somos a maior empresa de reparação de componentes Diesel da América Latina. 

Acesse e faça o seu orçamento agora mesmo.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email